Seguimos nossa viagem rumo a Girona. Chegamos à noite e muito cansados, por isso fomos direto atrás de um hotel e um lugar para jantar. Somente no outro dia fomos para o centro histórico da cidade. Iniciamos o passeio pela muralha, que percorre um lado inteiro do bairro. Das torres de observação é possível avistar toda a cidade e seu passado medieval. Com certeza já devem ter gravado cenas de filme por lá.

Ao longe você vê as árvores do parque Devesa, nessa época sem folhas. No caminho você encontra muitos prédios históricos, como o Banys Arabs, uma casa de banho quente e frio, datada no século XII. A catedral é linda, mas proibido fazer fotos. Afastando-se um pouco da muralha, o passeio é pelo Call, o bairro judeu, com suas ruas estreitas e sinuosas. De lá, é possível atravessar o Rio Onyar através das várias pontes, destacando-se a que foi construída por Gustav Eiffel (sim, ele mesmo, o senhor que fez a torre mais famosa de Paris). As casas à beira do rio tem um colorido muito bonito.

girona1_518x243_m2-copygirona2_518x243_m3girona3_518x243_mgirona4_518x243_m

Dica

Se você vai chegar na Espanha através do aeroporto de Girona, vale a pena perder uma manhã ou tarde na cidade. Ao invés de sair correndo atrás de um ônibus para Barcelona, faça este passeio, pois vale muito a pena. Você terá uma boa amostra de outros pueblos da Catalunya, que são menores, mas muito parecidos com a antiga Girona. Aproveite e estique até Figueres, pois ambas cidades são muito próximas, apenas 50km de distância.