Esta cidade, que contabiliza 2 bicicletas para cada cidadão, é jovem e cheia de vida. Lá quase tudo pode. Pode fumar maconha nos coffee shops. Prostituição é profissão legalizada e o “produto” pode estar exposto nas vitrines. Invadir apartamentos desocupados há mais de 1 ano também pode. Só não pode vender chá de cogumelo (em dezembro passado, um jovem inglês provou todos os tipos de chás disponíveis e decidiu que podia voar. Morreu e o chá foi proibido).

Para conhecer a cidade nada como uma boa caminhada, um passeio de bicicleta ou até mesmo de barco. Para se hospedar, nada de hotel: o mais legal é ficar em uma houseboat. Tem museus de todos os tipos, desde Van Gogh até museu da maconha. Nos arredores da cidade, tem o Keukenhof, o parque das flores. Tome cuidado apenas nas oficinas de turismo: lá qualquer folheto é pago e as filas são enormes.

Foram apenas dois dias na cidade, mas o suficiente para deixar vontade de voltar – ou quem sabe, um dia viver por lá.

amsterdam3_518x243_mamsterdam4_518x347_gamsterdam5_518x347_gamsterdam6_347x518_g