De vez em quando surgem nos jornais notícias de pessoas que foram deportadas ao chegarem na Europa. Em geral são relatos de Madrid, Londres ou Paris, justamente as portas de entrada mais usadas por nós brasileiros. Conhecemos duas pessoas que já passaram por isso, ambas em Londres, ambas por justa causa, pois não eram turistas mesmo.

A Vivi nos pediu para contar como foram nossas experiências, já que ela também irá em breve para Londres.

Em geral, nossa entrada é tranquila, com poucas ou nenhuma pergunta. Em alguns países nem mesmo foi necessário abrir nosso passaporte (Alemanha e Grécia). Já na última viagem, indo de Amsterdam para Londres via Luton Airport, passamos por um questionário mais aprofundado. Não sabemos se foi porque o aeroporto estava vazio e o policial não tinha nada para fazer ou se ele não foi com a nossa cara mesmo.

Foram várias perguntas: qual era nossa relação, por que um vivia no Brasil e outro na Espanha já que somos casados, onde trabalhamos e estudamos, onde iríamos nos hospedar, quanto dinheiro tínhamos, onde estava nossa passagem de retorno, etc. Por sorte (ou cautela) estávamos preparados com diversos documentos. Mas acreditamos que o visto espanhol do Vinicius fez a diferença, assim como os vários carimbos de viagens anteriores.

Portanto, nossa dica para todos é: viajem prevenidos. Não tem porque correr riscos, principalmente se vocês são turistas de fato. Imprimam todos os comprovantes de sua viagem e fiquem tranquilos, pois vocês não tem nada a esconder.

Em geral os itens solicitados são:

– comprovante de hospedagem (alguns países não aceitam apenas a reserva, exigem o comprovante do pagamento antecipado);

– passagem de retorno;

– seguro de viagem

– extrato do Visa Travel Money (se você tiver, claro);

– dinheiro em espécie.

Mas sempre é bom verificar exatamente quais são as exigências de cada país (normalmente as agências de viagens sabem informar).

E voltem aqui para nos contar como foram as suas experiências. Boa viagem!

Anúncios