Em um post anterior, citamos rapidamente a Via Algarviana, um dos projetos desenvolvidos pela Almargem, uma associação que tem por objetivo “o estudo e divulgação dos valores mais significativos do património natural, histórico e cultural do Algarve; a defesa intransigente desses mesmos valores e a apresentação de propostas concretas para a sua recuperação e valorização; a promoção de actividades que visem um desenvolvimento local integrado e respeitador da natureza”. E agora vamos falar um pouco mais detalhadamente sobre o projeto.

A Via Algarviana

A Via Algarviana é um percurso que pode ser percorrido a pé, de bicicleta ou à cavalo pelo interior do Algarve. São 300km divididos em 14 setores. Ou seja, é para quem gosta de se aventurar mesmo, que curte uma viagem roots, tem resistência e boa forma física. Para orientar os aventureiros, foi criado um guia que pode ser adquirido em qualquer centro turístico da região ou pode ser enviado em PDF para seu email.

Por que achamos o projeto tão bacana?

  • Porque promove a economia local;
  • Porque convida os turistas a conhecerem o interior do Algarve  e não somente a costa litorânea;
  • Porque desperta o contato direto com a população e a história local;
  • Porque estimula o contato e o respeito à natureza.

O Guia

Para solicitar o guia é só escrever para o João Ministro (jministro@almargem.org.). São 51 páginas, muito bem organizadas e com fotos inspiradoras. O guia de divide da seguinte maneira:

  1. Introdução: relato do objetivo do projeto e do guia
  2. Mapa do percurso
  3. Sinalização: explica o significa das placas distribuídas ao longo do caminho
  4. Recomendações gerais
  5. Setores: todos os setores iniciam com um pequeno resumo técnico, conforme imagem abaixo.

Para cada setor é indicado ainda os atrativos locais, divididos da seguinte forma:

  • Patrimônio Histórico, Arquitetônico e Religioso;
  • Natureza
  • Artesanato
  • Recreio e Lazer
  • Locais de descanso e apoio
  • Eventos Culturais

E ainda um capítulo com contatos: lista de alojamentos, restaurantes e contatos gerais

Mesmo que você não esteja disposto a percorrer 300km a pé, vale a pena solicitar o guia e visitar alguns setores, ainda que de carro mesmo.

Anúncios