You are currently browsing the tag archive for the ‘hotel’ tag.

Depois de nosso romântico passeio de bicicleta e de um bom descanso, chegou o momento de experimentar as delícias do restaurante.

Como estava muito quente, optamos pelas mesas externas do restaurante – nós e todos os clientes. 🙂 Apesar de termos ido no jantar, as melhores fotos que temos são durante o dia. Veja abaixo:

Para bebericar, é claro que pedimos pisco sauer e depois um vinho! Eu não lembro mais os nomes dos pratos que pedimos – na verdade nem teria muita utilidade pois o cardápio  já mudou (está disponível para download no site do hotel). Comemos bem, mas eu não iria até lá especialmente pela comida. Vale mesmo por todo o ambiente, toda a experiência.

No outro dia, acordamos sem pressa. Tomamos o café da manhã, fomos até a loja para comprar algumas garrafas de vinho e seguimos viagem rumo a Valparaíso. Concluindo então nossos posts sobre o charmoso Hotel Casa Silva, afirmamos: valeu a pena dirigir 150km apenas para conhecer o hotel. Não estamos falando de um hotel qualquer, mas de uma experiência,  de um estilo de vida.

Desde que eu li no Destemperados sobre o charmoso Hotel Casa Silva, não tirei mais da cabeça a idéia de me hospedar lá. E quando decidimos ir ao Atacama, rapidamente encaixei o hotel no roteiro, mesmo sabendo que a vinícola fica em lado oposto ao nosso destino principal.

Seguimos de Santiago em direção à pequena cidade de San Fernando, um trajeto de aproximadamente 150km, muito tranquilo e bem sinalizado. Como não tínhamos GPS, pois na locadora todos já estavam alugados, fomos à moda antiga mesmo, com mapinha dobrável de papel e aproveitando para entrar no clima de fazenda – ou seja, de não-tecnologia. Sim, é possível sobreviver alguns dias sem internet!

O hotel tem poucas suítes – apenas sete – e esse é justamente um dos maiores charmes do lugar. Some a isso paz, o silêncio, as paisagens bucólicas e claro – o vinho! O lugar não decepciona, tudo que é prometido, é entregue. Decoração impecável, de muito bom gosto. Atendimento exemplar. Detalhes e mais detalhes que tornam o lugar especial.

Eu fiquei mais feliz ainda quando abri a porta do nosso quarto e vi que era exatamente o meu preferido (pelo que tinha espiado nas fotos do site). Olhe as fotos e diga se não é lindo? Com direito a trufas de chocolate em caixinhas com lacre de cera. Chique, muito chique.



Que tal o banheiro? O luxo está na simplicidade.

E a decoração das áreas comuns, não é de muito bom gosto?

Abaixo a horta de temperos do restaurante e a piscina (naquele calor dava mesmo vontade de pular pra dentro – pena que a Tam fez o favor de perder minha mala).

Como temos muitas fotos lindas para mostrar vou dividir esse post em mais de uma parte.

Vá curtindo aos pouquinhos, devagar, sem pressa. No ritmo da vinícola. Amanhã eu falo sobre o passeio de bike, o tour na vinícola e o restaurante.

Lisboa tem o preço médio de hotéis bem em conta se comparado com outras capitais européias. Aliás, quase tudo é mais em conta na cidade. Por isso, para se hospedar é possível conseguir um hotel bom, novo e bem localizado pagando no máximo 65 euros. A melhor localização é nos arredores dos bairros Alto/Baixa/Chiado, pois é onde você mais irá circular.

O primeiro hotel que ficamos foi o Hotel Lutecia. É um grande hotel executivo, feio por fora mas recém-reformado por dentro e com café da manhã bom. Fica próximo ao aeroporto, mas longe dos bairros citados acima.

O segundo hotel foi o Inn Fashion Residence. Apesar do nome brega, o pequeno hotel de apenas 6 quartos vale a pena. Localizado num prédio antigo, não tem nenhuma placa de fácil visualização, por isso é importante anotar bem o endereço antes de chegar lá pela primeira vez.

Mas não se assuste, pois o hotel fica muito bem posicionado – perto das estações de metrô Restauradores e Rossio e também do boêmio bairro Alto. Os quartos são pequenos mas novos, moderninhos e ainda com banheira de hidromassagem.

O café da manhã é na “pastelaria” da esquina. O que parece um inconveniente, acaba sendo um deliciosa surpresa. O suco é natural “de verdade”. Quer pastel de Belém? Tem. Quer torrada? Tem. Quer um muffin? Tem. E para melhorar ainda mais: o café é servido até o meio-dia. Quer dizer, dá para curtir a noite no bairro Alto, dormir até tarde e ainda tomar um ótimo café para repor as energias.

Eu disse que valia a pena, não disse?

Bom, essas são nossas dicas. Se alguém mais quiser contribuir, sinta-se à vontade!

Ah, Berlim! É uma das nossas cidade preferidas. Onde nós moraríamos sem pensar duas vezes.

Quanto mais próximo você estiver do Mitte, mais especificamente entre a Oranienburger Strasse ou Rosa Luxenburg Strasse, melhor. O bairro é moderninho, cheio de bares, pubs e lojas muito bacanas. Se não der para ficar lá, não tem problema, pois o transporte público alemão é um dos melhores que já vimos.

E nossa dica é o hotel design One Berlim. Tem vários pela cidade, sendo que o preço mais caro é 84 euros. Não inclui café-da-manhã, que custa 7,50 euros mas vale muito a pena. Os croissants e geléias são deliciosos. O hotel na verdade é um motel (mas não do tipo que temos no Brasil!). A diferença é que não tem room service. Mas convenhamos, você estará numa cidade incrível e vai fazer suas refeições trancado num quarto??? Claro que não. Então room service é um item totalmente dispensável.

Nós ficamos no One Berlim da Alexanderplatz. Localização mais que perfeita. E o bom é que é você ainda terá a torre como ponto de referência, o que torna impossível se perder: basta olhar para cima!

berlim1_518x243_mberlim2_518x243_m

São muitas as opções para se hospedar e tudo depende do que você pretende fazer na ilha.

Para nós, sem dúvida, o local mais bonito e mais romântico de Santorini é Oía. Os melhores restaurantes estão lá e a melhor vista para o pôr-do-sol também.

Se você quer curtir sol e mar, então se hospede em Kamari ou Perissa. Lá tem alguns clubes com música e espreguiçadeiras.

Se você quer festa e balada, então fique em Fira. É o local com a maior concentração de bares, danceterias e  também comércio.

Nós ficamos no Volcanos Views, que fica entre Fira e Megalochori. A vista é deslumbrante para a Caldeira. A área externa do complexo é excelente, com 2 piscinas, mas os quartos são bem simples. Diárias em torno dos 250 euros. Não recomendamos se hospedar lá se você não estiver de carro.

Para pesquisar hotéis uma dica é o Booking.com. O site é excelente, bem organizado, e a melhor parte é que tem a avaliação dos clientes por categorias: casais jovens, casais maduros, pessoas com amigos, viajantes individuais. Dá para escolher um hotel sob medida para todos os bolsos e gostos.

Fotos: De cima para baixo. Pôr-do-sol em Oía, Perissa, Kamari e Fira, Vista da sacada do hotel Volcanos View

santorini7_518x243_gsantorini5_518x243_g2santorini6_518x243_g

Como a cidade é pequena, dificilmente um hotel estará mal localizado. Estando perto do Grand Market então não tem erro.

Nós ficamos no Martin’s Brugge. A recepção promete, mas os quartos não correspondem. Eles não são ruins,  pelo contrário, são novos,  limpos e com ótima calefação, porém pequenos e escuros. No quarto, a televisão tem uma mensagem personalizada para os hóspedes (ver foto). Porém tudo é pago à parte: estacionamento, café da manhã, internet e até os filmes na tv!!!! A diária é de 75 euros.

bruges6_518x347_g1
bruges7_518x347_g

Inquietos

Prepare-se, pois nossa inquietude vai contagiar você!

Acompanhe nosso Twitter.

Galeria Inquietos

Canadá

Canadá

Canadá

Mais fotos

Categorias