You are currently browsing the tag archive for the ‘londres’ tag.

Sou total Friendsmaníaca.

Na primeira vez que fui a Londres quase pirei quando vi que o David Schwimmer estava estrelando a peça Some Girls. Lógico que assisti. E sim, ganhei até o autógrafo dele (só faltam 5! Hahaha)

E para comemorar os 15 anos da série, abriram um Central Perk em Londres. Durante duas semanas você pode ganhar uma xícara de café imprimindo um voucher nesse link aqui.

Eu vou visitar o café na próxima vez que for a Londres. Com certeza.

centralperk2_518x347_Gcentralperk1_518x243_M2

Não dá para ir a Londres e não assistir a pelo menos um musical. Tem para todos os gostos, desde os clássicos como O Fantasma da Ópera e Les Miserables, os da Disney como O Rei Leão, os baseados em filmes como Dirty Dancing e muitos, muitos outros.

Um dos nossos preferidos é Billy Elliot que teve as canções criadas por nada mais, nada menos que Elton John. Inspirado no filme de mesmo nome, o musical já ganhou inúmeros prêmios, todos merecidíssimos. Impossível escolher a melhor cena: o impactante ato final 1 (Angry Dance), a poética dança de “O Lago dos Cisnes” ou a cena em que ele explica o que sente quando está dançando (Eletricity).

Para obter um ingresso com melhor preço há duas opções: ou você compra com muita antecedência ou compra em cima da hora: sempre tem algum lugar que sobra e entra em promoção. Um bom site para pesquisar o que está em cartaz é o Time Out London.

Você acaba de chegar em Londres e não tem a menor idéia do que oferecem suas ruas mais famosas, ou até já caminhou por essas ruas, mas não lembra exatamente onde está aquela loja que você deixou para comprar aquela roupa depois. Eis a solução para seus problemas: o site Street Sensation mostra todas as lojas/bares/restaurantes em ruas como Oxford e Regent Street, Portobello Road e Nothing Hill, King’s Road, Covent Garden, Bond Street, Soho e Chinatown, Isllington, Camden e outros.

Você deve estar pensando que o Google Maps também tem Street View, então para quê acessar este site? Por vários motivos: ele é mais rápido, não tem nenhum ônibus encobrindo os letreiros das lojas, além disso mostra um breve descritivo com telefone, links para os sites oficiais e promoções. E por 4 libras ele disponibiliza 20 mapas para download.

Quer mais um motivo para acessar o site? Ele também tem um mapa com a localização dos melhores mercados de Londres, com informações sobre estilo, dias e horários de funcionamento.

De vez em quando surgem nos jornais notícias de pessoas que foram deportadas ao chegarem na Europa. Em geral são relatos de Madrid, Londres ou Paris, justamente as portas de entrada mais usadas por nós brasileiros. Conhecemos duas pessoas que já passaram por isso, ambas em Londres, ambas por justa causa, pois não eram turistas mesmo.

A Vivi nos pediu para contar como foram nossas experiências, já que ela também irá em breve para Londres.

Em geral, nossa entrada é tranquila, com poucas ou nenhuma pergunta. Em alguns países nem mesmo foi necessário abrir nosso passaporte (Alemanha e Grécia). Já na última viagem, indo de Amsterdam para Londres via Luton Airport, passamos por um questionário mais aprofundado. Não sabemos se foi porque o aeroporto estava vazio e o policial não tinha nada para fazer ou se ele não foi com a nossa cara mesmo.

Foram várias perguntas: qual era nossa relação, por que um vivia no Brasil e outro na Espanha já que somos casados, onde trabalhamos e estudamos, onde iríamos nos hospedar, quanto dinheiro tínhamos, onde estava nossa passagem de retorno, etc. Por sorte (ou cautela) estávamos preparados com diversos documentos. Mas acreditamos que o visto espanhol do Vinicius fez a diferença, assim como os vários carimbos de viagens anteriores.

Portanto, nossa dica para todos é: viajem prevenidos. Não tem porque correr riscos, principalmente se vocês são turistas de fato. Imprimam todos os comprovantes de sua viagem e fiquem tranquilos, pois vocês não tem nada a esconder.

Em geral os itens solicitados são:

– comprovante de hospedagem (alguns países não aceitam apenas a reserva, exigem o comprovante do pagamento antecipado);

– passagem de retorno;

– seguro de viagem

– extrato do Visa Travel Money (se você tiver, claro);

– dinheiro em espécie.

Mas sempre é bom verificar exatamente quais são as exigências de cada país (normalmente as agências de viagens sabem informar).

E voltem aqui para nos contar como foram as suas experiências. Boa viagem!

Nesta Semana Santa, para não perder o hábito, estaremos viajando. O roteiro passa por Amsterdam e Londres. Tentaremos escrever durante a viagem.

Sabe aquele City Tour oferecido pelas agências de viagem? Pois eles nunca nos atraíram. Aquele sistema de passar correndo pelos pontos turísticos, ouvir uma descrição superficial e fotografar de dentro do ônibus (isso se você estiver sentado no lado certo) não tem como ser atraente. Em algumas situações pode até ser necessário ou cômodo, mas atraente não é.

Mas em Berlim conhecemos os Walking Tours organizados pela New Europe Tours. Segundo eles, o objetivo  é proporcionar a todos “a oportunidade de participar dos melhores tours possíveis, descobrindo a beleza e as fabulosas histórias que as cidades européias têm a oferecer”.

Mas o que eles têm de diferente? Em primeiro lugar, o tour é gratuito. Você paga no final o quanto você acha que valeu a experiência. Isso faz com que os guias sejam mais dedicados, mais informados e menos robotizados. Em segundo lugar, todos os guias são jovens na faixa dos 25 a 30 anos, que já viveram em muitas capitais européias e tem muito o que contar e compartilhar. Em terceiro lugar, você pode optar  por espanhol ou inglês. Em quarto lugar e não menos importante do que os três primeiros itens, é um intervalo para tomar uma boa cerveja alemã e recuperar o fôlego.

Claro que você não terá uma aula de história profunda. E também não conhecerá toda a cidade, afinal você estará a pé*! Mas você vai se divertir bastante, vai ter a oportunidade de se localizar melhor e entender um pouco mais a cidade e ainda fazer amigos.

Para participar, encontre os guias em frente à Starbucks do Portão de Brandemburgo, às 11 horas. A duração  do passeio é de 3 horas e meia.

Eles oferecem ainda outros 5 tours, que não são gratuitos, mas também não são caros:

– Postdam, a cidade dos palácios (14 para adultos, 12 para estudantes)

– Berlim e o muro, a luta pelo poder (12 para adultos, 10 para estudantes)

– Tercer Reich, a capital nazista (12 para adultos, 10 para estudantes)

– Sachsenhausen, o campo de concentração (14 para adultos, 12 para estudantes)

– Pub Crawl, a noite de Berlim (12 para adultos, 10 para estudantes)

Os últimos dois nós fizemos e contaremos como foi em outro post.

Eles estão presentes em outras cidades como Amsterdam, Dublin, Edimburgo, Hamburgo, Jerusalém, Londres, Madrid, Munique, Paris e Tel Aviv.

* Eles também têm um bike tour gratuito no mesmo horário. O ponto de encontro é na Oranienburgerstrasse. É necessário fazer um depósito de 15 euros pela bike, mas o valor é devolvido no final.

Inquietos

Prepare-se, pois nossa inquietude vai contagiar você!

Acompanhe nosso Twitter.

Galeria Inquietos

Categorias