You are currently browsing the tag archive for the ‘paris’ tag.

Estávamos quase esquecendo de postar essa dica, mas ainda bem que lembramos a tempo. Desde 2003 rola em Barcelona um festival de cinema chamado Sala Montjuic.  O projeto foi criado por uma associação cultural sem fins lucrativos chamada MODIband e teve inspiração no Festival de Cinéma en Plein Air do Parque de la Villette de Paris (que também está rolando nesse exato momento, se você estiver em Paris não perca).

O Sala Montjuic na verdade não tem sala nenhuma, pois acontece ao ar livre. Os filmes em 35mm são projetados numa das laterais do Castelo de Montjuic todas as segundas, quartas e sextas, somente no verão. A maioria das pessoas faz um picnic enquanto aguarda o filme começar, sempre ao som da música ao vivo que fica rolando. É muito divertido e inusitado,  não deixe de participar.

Para chegar lá, eles disponibilizam transporte gratuito (ao lado da Plaça Espanya). E a entrada do festival custa só 5 euros.

Ah, no site do festival você pode votar em qual filme gostaria de assistir no fechamento do festival!

p.s. Para o picnic, aproveite a dica do post anterior sobre o Mercat da Boqueria.

Anúncios

De vez em quando surgem nos jornais notícias de pessoas que foram deportadas ao chegarem na Europa. Em geral são relatos de Madrid, Londres ou Paris, justamente as portas de entrada mais usadas por nós brasileiros. Conhecemos duas pessoas que já passaram por isso, ambas em Londres, ambas por justa causa, pois não eram turistas mesmo.

A Vivi nos pediu para contar como foram nossas experiências, já que ela também irá em breve para Londres.

Em geral, nossa entrada é tranquila, com poucas ou nenhuma pergunta. Em alguns países nem mesmo foi necessário abrir nosso passaporte (Alemanha e Grécia). Já na última viagem, indo de Amsterdam para Londres via Luton Airport, passamos por um questionário mais aprofundado. Não sabemos se foi porque o aeroporto estava vazio e o policial não tinha nada para fazer ou se ele não foi com a nossa cara mesmo.

Foram várias perguntas: qual era nossa relação, por que um vivia no Brasil e outro na Espanha já que somos casados, onde trabalhamos e estudamos, onde iríamos nos hospedar, quanto dinheiro tínhamos, onde estava nossa passagem de retorno, etc. Por sorte (ou cautela) estávamos preparados com diversos documentos. Mas acreditamos que o visto espanhol do Vinicius fez a diferença, assim como os vários carimbos de viagens anteriores.

Portanto, nossa dica para todos é: viajem prevenidos. Não tem porque correr riscos, principalmente se vocês são turistas de fato. Imprimam todos os comprovantes de sua viagem e fiquem tranquilos, pois vocês não tem nada a esconder.

Em geral os itens solicitados são:

– comprovante de hospedagem (alguns países não aceitam apenas a reserva, exigem o comprovante do pagamento antecipado);

– passagem de retorno;

– seguro de viagem

– extrato do Visa Travel Money (se você tiver, claro);

– dinheiro em espécie.

Mas sempre é bom verificar exatamente quais são as exigências de cada país (normalmente as agências de viagens sabem informar).

E voltem aqui para nos contar como foram as suas experiências. Boa viagem!

Sabe aquele City Tour oferecido pelas agências de viagem? Pois eles nunca nos atraíram. Aquele sistema de passar correndo pelos pontos turísticos, ouvir uma descrição superficial e fotografar de dentro do ônibus (isso se você estiver sentado no lado certo) não tem como ser atraente. Em algumas situações pode até ser necessário ou cômodo, mas atraente não é.

Mas em Berlim conhecemos os Walking Tours organizados pela New Europe Tours. Segundo eles, o objetivo  é proporcionar a todos “a oportunidade de participar dos melhores tours possíveis, descobrindo a beleza e as fabulosas histórias que as cidades européias têm a oferecer”.

Mas o que eles têm de diferente? Em primeiro lugar, o tour é gratuito. Você paga no final o quanto você acha que valeu a experiência. Isso faz com que os guias sejam mais dedicados, mais informados e menos robotizados. Em segundo lugar, todos os guias são jovens na faixa dos 25 a 30 anos, que já viveram em muitas capitais européias e tem muito o que contar e compartilhar. Em terceiro lugar, você pode optar  por espanhol ou inglês. Em quarto lugar e não menos importante do que os três primeiros itens, é um intervalo para tomar uma boa cerveja alemã e recuperar o fôlego.

Claro que você não terá uma aula de história profunda. E também não conhecerá toda a cidade, afinal você estará a pé*! Mas você vai se divertir bastante, vai ter a oportunidade de se localizar melhor e entender um pouco mais a cidade e ainda fazer amigos.

Para participar, encontre os guias em frente à Starbucks do Portão de Brandemburgo, às 11 horas. A duração  do passeio é de 3 horas e meia.

Eles oferecem ainda outros 5 tours, que não são gratuitos, mas também não são caros:

– Postdam, a cidade dos palácios (14 para adultos, 12 para estudantes)

– Berlim e o muro, a luta pelo poder (12 para adultos, 10 para estudantes)

– Tercer Reich, a capital nazista (12 para adultos, 10 para estudantes)

– Sachsenhausen, o campo de concentração (14 para adultos, 12 para estudantes)

– Pub Crawl, a noite de Berlim (12 para adultos, 10 para estudantes)

Os últimos dois nós fizemos e contaremos como foi em outro post.

Eles estão presentes em outras cidades como Amsterdam, Dublin, Edimburgo, Hamburgo, Jerusalém, Londres, Madrid, Munique, Paris e Tel Aviv.

* Eles também têm um bike tour gratuito no mesmo horário. O ponto de encontro é na Oranienburgerstrasse. É necessário fazer um depósito de 15 euros pela bike, mas o valor é devolvido no final.

Inquietos

Prepare-se, pois nossa inquietude vai contagiar você!

Acompanhe nosso Twitter.

Galeria Inquietos

Categorias