You are currently browsing the tag archive for the ‘tour’ tag.

Que o Hotel Casa Silva é lindo, acho que você já deve concordar comigo. Agora vamos falar sobre as atividades oferecidas pelo hotel.

Na mesma tarde em que chegamos ao hotel, agendamos o Wine Tour, que é incluído na hospedagem. Qualquer pessoa pode participar, mas os não-hóspedes pagam um valor por isso. O tour tem duração aproximada de uma hora e incluí a degustação de 3 vinhos.

Muitas pessoas falam mal do tour oferecido pela Concha Y Toro, mas como não fizemos não temos como comparar. Nós gostamos do tour da Casa Silva. Durante o passeio pelos porões ouvimos a história da vinícola e aprendemos sobre as uvas. Nosso grupo era pequeno, apenas 5 pessoas. Talvez essa seja a diferença para os outros tours próximos a Santiago, os quais acredito terem grupos maiores e por isso são menos intimistas.


Depois do tour, pegamos duas bicicletas para dar um passeio pelo viñedo. Não preciso nem dizer que o cenário é perfeito, né? Pedalamos, pedalamos e chegamos no Clube de Polo e Equitação do viñedo. Não estava acontecendo nenhum competição, mas algumas crianças tinham acabado de fazer aula. Ali também tinha um pequeno bar/restaurante. Tomamos o primeiro pisco da viagem.


Pedalamos mais e chegamos ao Rio Grande do Sul. Ops. Como assim? Ah não, é só a cancha de rodeio da vinícola. Depois de alguns segundos de confusão geográfica, percebemos que os “gaúchos” de lá são diferentes dos gaúchos de cá. Primeiro, eles são chamados de “huasos”. E a competição é feita dentro de uma cancha circular, chamada medialuna e tem como objetivo capturar o animal em um determinado local dessa cancha. Assistimos um pouco e retornamos ao hotel.

Então fomos para o quarto, para descansar e nos preparar para o jantar. Amanhã contaremos a experiência no restaurante.

Anúncios

Sem muito tempo para descansar, após uma manhã incrível no Geyser del Tatio, encaramos o Valle de la Muerte. O Valle é chamado assim porque nada cresce ou sobrevive devido ao seu tipo de solo, e está localizado na Cordillera de la sal, que é bem próximo de San Pedro.

Chegando no local, nossa guia nos informou que começaríamos com uma pequena caminhada de 30 minutos, morro acima é claro! A subida não é dificil, mas para quem acordou as 04:00h da manhã somado a um solzinho de 40º, começa a fazer diferença. Já no topo, o visual é de um cenário incrível esculpido naturalmente e mesclado por rochas e dunas, aonde é possível praticar sandboard. Lá de cima, além de admirar o valle, você também pode observar alguns dos vulcões da região.

Como todos sabem, depois de subir e curtir o visual lá de cima, chegou a hora de descer. E aí que vem a melhor parte. Descer correndo duas dunas gigantes. Com certeza é a parte mais light do tour e aonde rolam algumas das fotos mais divertidas. Lá embaixo, mais uma caminhada rápida até nosso transporte. Nós e mais um bocado de areia depois desta corrida pelas dunas.

Na sequência seguimos ao Valle de la Luna, que foi o passeio menos interessante de todos, não só pelo nosso cansaço, mas também se comparado com os outros locais que visitamos. Depois do pôr-do-sol, hora de descansar!

Algumas pessoas estão curiosas para saber quanto custou nossa viagem para o Atacama. Já falamos sobre os preços dos tours e vamos falar aos poucos sobre restaurantes e hotéis. Mas para ajudar esses leitores, aqui vai um post “resumão” do custo da viagem. Mas já aviso, a palavra que vocês mais vão ler aqui é “depende”.

Passagem aérea: o primeiro “depende” do post. Depende se você vai com milhas ou não. Fiz uma pesquisa no Decolar para uma passagem partindo de SP para Calama no final de fevereiro e o preço mais econômico foi U$718,00. Já para quem vai com milhas  até Santiago, a passagem de  ida e volta  de Santiago/Calama custa entre U$200,00 a U$300,00 (com a Sky Airlines).

Transfer até San Pedro: aproximadamente U$35,00 por pessoa, ida e volta.

Hotéis: Depende do hotel, obviamente. San Pedro tem desde hotéis de luxo a hostals. No Trip Advisor, o preço médio mais barato custa U$62,00 e o mais caro U$900,00. O hotel que ficamos custou U$185,00.

Alimentação: também depende. Nos restaurantes mais legais você vai gastar em média U$25,00 por pessoa (sem bebida alcóolica). Tem vários tipos de restaurantes e também muitos mercadinhos.

Tours: nesse post comentamos sobre os preços dos principais tours oferecidos pelas agências. Custo em torno de R$250,00 por pessoa, todos os tours.

Bom, calculadora em mãos, escolha que tipo de viagem quer fazer e quantos dias pretende ficar no Atacama. Inclua na sua conta muita água mineral e protetor solar.

Primeiro dia no Atacama. Desembarcamos no pequeno “aerodromo el loa Calama”  – menor do que esse só conheço o de Santorini – e uma senhora nos esperava com uma plaquinha onde estava escrito “Don Raupp” (chique, muito chique ser chamado de Don não é verdade?). Seguimos num carro privado rumo a San Pedro, numa estrada muito bem conservada e bem sinalizada, com as linhas de marcação no asfalto recém-pintadas.

Check-in feito, decidimos almocar e caminhar pela cidade para pesquisar os preços dos passeios para os dias seguintes. A recepcionista do hotel, que era muito divertida, nos indicou a Grado 10: porque tinha um veículo super equipado e um público mais jovem, “as outras agências são mais para abuelitos”.

A cidade é muito pequena, praticamente uma rua principal que pode ser percorrida em 15 minutos (ou menos). Você vai encontrar mercadinhos, lojas de artesanatos (todas idênticas), restaurantes e operadoras de turismo. E nas ruas laterais hostals e hotéis. Além disso tem uma praça principal com uma igreja, prefeitura, um museu.  E apenas 4 ou 5 caixas eletrônicos. E acabou a cidade que serve de base para todos os passeios no maior deserto do mundo.

Nas lojas e restaurantes, muitos dos funcionários são bolivianos ou santiaguinos (ou seja lá como chamam os que nascem em Santiago).

O ar é muito seco e na boca às vezes fica uma sensação de estar comendo terra. O sol é muito forte, tão forte que ao lado do museu tem um SOLmaforo, um medidor de raios UV. Quase não há vento durante o dia e à noite a temperatura começa a cair. As construções feitas de adobe e telhado de palha natural: impressionam pela isolamento térmico: mesmo com todo o calor na rua, a temperatura interna é muito agradável, tanto de dia quanto de noite. Dos 5 dias que estivemos na cidade, ligamos o ventilador apenas uma vez. À noite usávamos alguns edredons e cobertas, mas sempre estivemos muito confortáveis.

Voltando ao assunto das agências de turismo, fomos até a Grado 10 e gostamos deles de cara. Para não fazer nenhuma compra por impulso visitamos outras 4 agências. Os preços eram muito similares, mas a Grado 10 prometia uma qualidade superior. Apostamos na agência e não nos arrependemos nem um pouco.

Muito preocupados com os detalhes, a Grado 10 nos surpreendeu até mesmo quando não esperávamos mais nada deles. No caminho para os geysers del Tatio, eles forneciam cobertores para aquecer o corpo nas 2 horas de viagem gelada na madrugada, além de luvas e casacos térmicos para aqueles que estavam desprevenidos. As refeições eram muito gostosas e o atendimento muito cordial. Até mesmo no último passeio quando a moça aqui já estava muito cansada e não quis subir um morro, o dono veio oferecer ajuda para subir. O guia era excelente, muito bem informado e inclusive já havia vivido junto aos povos locais aprendendo sua cultura. Era um defensor das tradições atacameñas, da natureza e falava um excelente inglês.

O caminhão é um capítulo à parte. As poltronas são confortáveis, espaçosas e reclináveis. As janelas são grandes e tem uma boa abertura, para que seja possível fazer fotos durante o caminho (e serão muitas horas de viagem em todos os passeios). A janela dianteira também abre e por ela é posssível subir no  teto do caminhão. Nas lagunas altiplanicas, uma parte do trajeto é feito lá em cima (mas o frio é de lascar).

Embaixo, o caminhão tem vários compartimentos onde são guardadas mesas, cadeiras e até mesmo uma chapa, onde é feita a comida. A bebida vai desde sucos, cervejas, pisco sauer. Sempre geladinhos. Como as refeições são feitas no meio do deserto, eles controlam até mesmo a quantidade de guardanapos distribuídos: nenhum lixo pode ficar para trás.

Sobre a idade, eu diria que 70% do grupo que fez o passeio conosco tinha idade até 35 anos.

Valeu muito a pena fazer o passeio com eles. No próximo post, vamo indicar os preços das outras agências, passeios e horários de saídas.

Sabe aquele City Tour oferecido pelas agências de viagem? Pois eles nunca nos atraíram. Aquele sistema de passar correndo pelos pontos turísticos, ouvir uma descrição superficial e fotografar de dentro do ônibus (isso se você estiver sentado no lado certo) não tem como ser atraente. Em algumas situações pode até ser necessário ou cômodo, mas atraente não é.

Mas em Berlim conhecemos os Walking Tours organizados pela New Europe Tours. Segundo eles, o objetivo  é proporcionar a todos “a oportunidade de participar dos melhores tours possíveis, descobrindo a beleza e as fabulosas histórias que as cidades européias têm a oferecer”.

Mas o que eles têm de diferente? Em primeiro lugar, o tour é gratuito. Você paga no final o quanto você acha que valeu a experiência. Isso faz com que os guias sejam mais dedicados, mais informados e menos robotizados. Em segundo lugar, todos os guias são jovens na faixa dos 25 a 30 anos, que já viveram em muitas capitais européias e tem muito o que contar e compartilhar. Em terceiro lugar, você pode optar  por espanhol ou inglês. Em quarto lugar e não menos importante do que os três primeiros itens, é um intervalo para tomar uma boa cerveja alemã e recuperar o fôlego.

Claro que você não terá uma aula de história profunda. E também não conhecerá toda a cidade, afinal você estará a pé*! Mas você vai se divertir bastante, vai ter a oportunidade de se localizar melhor e entender um pouco mais a cidade e ainda fazer amigos.

Para participar, encontre os guias em frente à Starbucks do Portão de Brandemburgo, às 11 horas. A duração  do passeio é de 3 horas e meia.

Eles oferecem ainda outros 5 tours, que não são gratuitos, mas também não são caros:

– Postdam, a cidade dos palácios (14 para adultos, 12 para estudantes)

– Berlim e o muro, a luta pelo poder (12 para adultos, 10 para estudantes)

– Tercer Reich, a capital nazista (12 para adultos, 10 para estudantes)

– Sachsenhausen, o campo de concentração (14 para adultos, 12 para estudantes)

– Pub Crawl, a noite de Berlim (12 para adultos, 10 para estudantes)

Os últimos dois nós fizemos e contaremos como foi em outro post.

Eles estão presentes em outras cidades como Amsterdam, Dublin, Edimburgo, Hamburgo, Jerusalém, Londres, Madrid, Munique, Paris e Tel Aviv.

* Eles também têm um bike tour gratuito no mesmo horário. O ponto de encontro é na Oranienburgerstrasse. É necessário fazer um depósito de 15 euros pela bike, mas o valor é devolvido no final.

Inquietos

Prepare-se, pois nossa inquietude vai contagiar você!

Acompanhe nosso Twitter.

Galeria Inquietos

Categorias